JÚRI

Graça Costa Pereira

Graça Costa Pereira, actual editora de Cultura da SIC e SIC Notícias, irá presidir o júri na 3ª edição do Festival de Cinema Digital de Odemira. Iniciou a sua carreira como jornalista na TVI e após três anos a trabalhar em televisão optou pela imprensa escrita, representando o diário “A Capital” durante o ano de 1997. Nos sete anos que se seguiram acompanhou o Ministro da Cultura Manuel Maria Carrilho enquanto sua principal assessora. Antes de assumir o actual cargo de editora na estação de Carnaxide, Graça Costa Pereira ocupou as funções de jornalista e produtora nos canais SIC e SIC Notícias.

FERNANDO ALVIM

Fernando Alvim é considerado um dos maiores humoristas em Portugal. O seu percurso profissional é tão rico e variado que se torna impossível destacar um marco na carreira deste comunicador nato. Alvim assume-se como locutor profissional com apenas 17 anos. Em 1998 é convidado para colaborar com a Rádio Comercial e, actualmente, mantém-se na Antena 3, onde apresenta a rubrica Prova Oral. No mesmo ano estreia-se na televisão. É importante relevar a sua passagem pelos programas Curto Circuito, o Perfeito Anormal e Boa Noite Alvim. Mais recentemente, integrou a equipa do programa de culto 5 para a Meia-Noite, na RTP2. Paralelamente à sua enorme actividade nos media, Alvim publicou de 3 livros, fundou a Revista 365, lançou o Termómetro Unplugged e o Festival da Canção Alternativa. Em 2011 deixa a equipa do 5 para a Meia-Noite para se concentrar em dois novos projectos: o regresso da Speaky TV e o lançamento da revista Zero.

Jorge Pelicano

Apesar da sua idade, Jorge Pelicano é um dos realizadores de cinema documental mais reconhecidos em Portugal. Nascido em 1977 na Figueira da Foz, é licenciado em Comunicação e Relações Públicas e frequenta o mestrado de Comunicação e Jornalismo da Universidade de Coimbra. Actualmente é repórter de imagem da SIC. Jorge Pelicano define-se como um contador de histórias. De câmara na mão já percorreu a Serra da Estrela, documentando a vida dos últimos pastores dos Casais de Folgosinho. Este documentário, denominado “Aqui há Pastores”, foi a sua estreia como realizador e arrecadou 14 prémios nacionais e internacionais. Em 2009, voltou a entregar-se a um projecto, desta vez com a linha do Tua, em Trás-os-Montes, como pano de fundo. “Pare, Escute e Olhe”, mostra a dura realidade das pessoas que, privadas do comboio e dos autocarros que o vieram substituir, se encontram completamente isoladas. O documentário ganhou 6 prémios, incluindo o de Melhor Documentário Português, do DOCLISBOA 2009.

Vicente Alves do Ó

Vicente Alves do Ó é um realizador e argumentista oriundo de Sines, que iniciou a carreira em 2000, com os argumentos originais para as longas-metragens “Monsanto” e “Facas e Anjos”. Em 2003 colaborou no argumento de “Os Imortais”, filme realizado por António Pedro Vasconcelos que foi consagrado tanto pelo meio crítico como pelo público português. Seguem-se diversas colaborações como argumentista em produções nacionais, até que em 2011 consegue angariar fundos do ICA para assumir a realização e argumento de “Quinze Pontos na Alma”. O filme marca a estreia auspiciosa do cineasta alentejano na cadeira de realizador, contando com as interpretações de Rita Loureiro e Ivo Canelas.

Helder Guerreiro

Helder Guerreiro é o actual vice-presidente da Câmara Municipal de Odemira, exercendo funções desde Novembro de 2005 com os pelouros da Cultura e Desenvolvimento Económico, Desporto e Tempos Livres, Educação e Acção Social. Licenciado em Engenharia Agro-Florestal, no ramo de Desenvolvimento Rural, é membro fundador e presidente da direcção da TAIPA, Organização Cooperativa de Desenvolvimento Integrado do Concelho de Odemira. Desde Setembro de 2000 que a TAIPA acumula iniciativas em prol do Concelho, como a elaboração do Centro de Animação Cultural e Educativo ou a criação dos projectos “CapriLitoral”, “Multifuncionalidade Rural” e “Finjo”, que promoveu a formação profissional para agricultores e técnicos de Desenvolvimento Rural, através do programa Novas Janelas de Oportunidades.

Francisco Areosa

Francisco Areosa iniciou a sua carreira de actor em 2000, no telefilme “Cavaleiros de Água Doce”. Consolidou a escolha para a representação ao assumir-se entre 2003 e 2006 como um dos protagonistas de “Uma Aventura”, adaptação dos romances juvenis levada a cabo pela SIC. Terminado o projecto televisivo, o antigo atleta de triatlo opta pela dramaturgia, colaborando nas peças “Mulher do Campo” e “Anjos Marginais”, ambas encenadas por João Ferrador. Em 2009 volta a encarnar o papel de “Chico” no filme “ Uma Aventura na Casa Assombrada”, esta adaptação a longa-metragem dos romances de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada distingue-se como o filme português mais visto desse ano. Presença assídua em telenovelas portuguesas, como Morangos com Açúcar e Lua Vermelha, este jovem actor praticante de surf e vela foi também representante da Galp no movimento “Energia Positiva”.

APOIOS

Fundação Odemira
Crédito Agrícola
Cinema GiraSol
Sudoestebit
Instituto do Cinema e do Audiovisual
Municício de Odemira
Apoie este evento!
Apoie este evento!